Machos Manuais

O que são Machos Manuais e como aplicá-los

Conheça mais sobre Machos Manuais e confira as dicas para garantir um rosqueamento manual muito mais eficiente nos processos industriais!

O processo de rosqueamento é amplamente utilizado na fabricação de peças nos mais diferentes segmentos industriais. As roscas podem ser feitas por meio de ferramentas específicas, como insertos para rosqueamento, machos máquina e machos manuais.

Os Machos Manuais são ideais para produção em pequena escala, comumente utilizados para repassar roscas danificadas na área de manutenção das indústrias. São fabricados em aço rápido (HSS) e possuem ampla variedade de perfis de rosca, como rosca métrica, métrica fina, UNC, UNF, BSW, entre outras.

Costuma-se utilizar um jogo de machos manuais composto por três peças, onde o primeiro macho efetua 55% do perfil da rosca, o segundo macho efetua 25% e o terceiro, por sua vez, efetua outros 20%.

Nas lojas e canais de vendas da Ferramentas Gerais você encontra uma solução que simplifica esta operação, substituindo o jogo de macho com 3 peças pelo Kit Duo Pack, da Dormer Pramet, composto por um macho capaz de fazer a rosca completa em uma única operação, acompanhado por uma broca que efetua o pré-furo com diâmetro compatível.

machos manuais

Kit Duo Pack – Dormer Pramet

Além de ter as ferramentas certas em mãos, é necessário conhecer bem o processo, a fim de garantir uma operação de rosqueamento manual eficiente.

Saiba como utilizar o Macho Manual de forma correta

Para ajudá-lo separamos alguns pontos que devem ser levados em consideração, confira!

  • Manuseio correto da ferramenta: para manipular corretamente o Macho Manual, deve-se utilizar outra ferramenta chamada desandador, ou vira macho, que auxilia o operador na tarefa de virar o macho. 
  • Lubrificação preliminar do furo: o furo onde vai ser usinada a rosca deve estar lubrificado, com intuito de diminuir o coeficiente de atrito entre a ferramenta e a peça, refrigerando ambas durante o processo. 
  • Manter o esquadro da rosca: ao iniciar a rosca, o macho deve estar posicionado perpendicularmente com relação à face da peça onde está o furo, para tal, recomenda-se a utilização de um esquadro de luz para auxiliar no posicionamento inicial. 
  • Obedecer a sequência de utilização dos machos: alterar a ordem de utilização dos machos pode comprometer sua vida útil, por isso, deve-se respeitar a sequência 1° macho, logo após o 2° macho e por último o 3° macho. As ferramentas possuem marcações na haste para auxiliar na identificação, 1° macho possui um traço na haste, o 2° macho possui dois traços na haste e o 3° não possui nenhum traço. 
  • Diâmetro correto do pré-furo: deve-se efetuar o pré-furo com diâmetro de acordo com a rosca a ser feita, uma seleção incorreta pode ocasionar na quebra da ferramenta ou deixar a rosca fora de sua especificação. Para se chegar ao diâmetro aproximado de pré-furo adequado, usa-se a seguinte relação: Diâmetro nominal do macho (mm) – Passo do macho (mm) = Diâmetro da broca (mm).

Exemplo: para uma rosca M10x1,50 teremos: 10 – 1,5 = 8,5, ou seja, o pré-furo adequado deverá ser de 8,5 mm. 

  • Quebrar o cavaco durante o rosqueamento: para quebrar o cavaco e livrar os canais de saída do macho, deve-se a cada volta da ferramenta girá-la 1/4 de volta no sentido contrário para quebrar o cavaco.

Gostou da solução para facilitar os processos de rosqueamento? Na FG você encontra o Kit Duo Pack disponível em diversos tamanhos! Visite-nos e conheça de perto esse e muitos outros produtos que vão contribuir diretamente com o processo industrial: http://bit.ly/2JJi4hg

Quer saber mais sobre os produtos da Dormer Pramet? Confira em nosso catálogo online: http://bit.ly/2V2btkQ

Aproveite a visita em nosso blog para ler sobre outros processos industriais, conheça o Corte plasma: como funciona e principais vantagens

Ficou com alguma dúvida sobre o processo de rosqueamento e quais equipamentos usar? Deixe sua mensagem nos comentários abaixo que respondemos assim que possível!